O pimentão é considerado um dos vilões na mesa do consumidor brasileiro quando o assunto são agrotóxicos

Em 2010, o Programa de Análises de Resíduos de Agrotóxicos de Alimentos (PARA), da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), constatou que 91,7% dos pimentões analisados continham resíduos de substâncias não autorizadas para o uso na cultura. Este foi o parâmetro que incentivou o início do Programa Colheita Segura especificamente com a cultura dos pimentões. Realizado pelo Grupo MNS em colaboração com a empresa de tecnologia catarinense PariPassu, com o objetivo de intensificar o apoio e a transferência de conhecimento para a cadeia produtiva e entregar uma colheita segura ao mercado.

Mais de 100 toneladas de pimentões saudáveis, com práticas agrícolas coordenadas por técnicos especializados, garantia de procedência e sob monitoramento rigoroso dos níveis de resíduos agrotóxicos devem ser colhidos por produtores da região de Pilar do Sul, no interior de São Paulo, até o final deste ano.

Os 19 produtores vinculados ao programa recebem apoio desde o planejamento do plantio até a colheita e encaminhamento dos produtos aos distribuidores para comercialização. “Nós damos orientações quanto a novas práticas de manejo, sem resíduos de produtos agrotóxicos. Explicamos sobre a importância e como utilizar apenas insumos com registro e a aplicação de doses de acordo com o que recomendado pela legislação”, explicou Francisco Pezzato, gestor do programa no Grupo MNS e responsável pelas visitas e orientações junto aos produtores. Chico, como é conhecido, é um dos entusiastas do Programa Colheita Segura, que já teve resultados com 100% de conformidade nos produtores que receberam a orientação desde o início da cultura.

Fonte: AI