Conheça a iniciativa “Adote uma Oliveira”!

Com o objetivo de compartilhar a paixão pelo azeite e a preocupação com o meio ambiente, surge o projeto ‘Adote uma Oliveira’, uma iniciativa inédita no Brasil. Com sede na cidade de Aiuruoca, no sul de Minas Gerais, em uma Área de Proteção Ambiental (APA) vizinha do Parque Estadual Pico do Papagaio, a iniciativa, além de conectar apaixonados por azeite, tem como grande diferencial a integração da agricultura sustentável a um projeto de reflorestamento de árvores nativas da Mata Atlântica e a soltura de aves recuperadas por maus tratos ou apreendidas pelo Ibama.

Idealizado por Nélio Weiss, empreendedor e fundador do projeto OLIBI e da Fazenda Caminho do Meio, onde as três frentes da iniciativa tiveram início, o ‘Adote uma Oliveira’ tem o compromisso de respeitar o meio ambiente através do reflorestamento da mata nativa e da biodiversidade da região, devolver à natureza a fauna recuperada para ser livre e ocupar seu habitat, além de envolver a comunidade local no trabalho. Weiss teve a ideia da iniciativa pensando na crença de que “se não podemos transformar o mundo todo, começamos com as próprias mãos ao nosso redor”.

O projeto teve início em 1999, com a primeira muda de árvore plantada na fazenda em Aiuruoca, que, até então, exibia uma paisagem árida e desértica, resultado de queimadas e devastações do passado. Posteriormente vieram as aves, com uma proposta de cuidado e soltura de pássaros silvestres em extinção apreendidos pelo Ibama. Hoje a propriedade conta com mais de 15 mil árvores plantadas em 18 hectares e já foi responsável pela soltura de mais de 3 mil aves.

Mais de 10 anos após plantar a primeira árvore de pau-brasil, teve início a cultura das oliveiras para transformar e resgatar a história do azeite de oliva 100% brasileiro, que fez parte do passado do País nos anos de 1500. “Partimos do objetivo de demonstrar como é possível ter uma produção agrícola de produtos de qualidade premium e, ao mesmo tempo, investir na recuperação da natureza local”, diz Weiss.

Nélio pesquisou muito uma atividade produtiva que pudesse ser aliada do meio ambiente e também garantisse a sustentabilidade financeira do projeto. “A longevidade das oliveiras aliada ao espírito preservacionista nos levou a comprar as primeiras mudas em 2011. Hoje, já temos a maior área plantada da cidade”, conta o idealizador do projeto batizado de OLIBI, palavra de origem indígena que significa óleo da terra.

As oliveiras não agridem o solo e se integram ao meio ambiente, pois preferem solos não férteis e em declive. Após a plantação das primeiras mudas em 2011, o projeto ganhou vida com o objetivo de produzir o melhor azeite de oliva do Brasil. Atualmente já são 13 hectares plantados com as variedades Arbequina, Koroneiki, Arbosana, Maria da Fé, Ascolano, Grappolo e Coratina.

Os interessados em abraçar o projeto e adotar uma oliveira vão contribuir com uma ação efetiva contra a extinção dos papagaios-de-peito-roxo na Mata Atlântica e com o cultivo e expansão das áreas de reflorestamento da Serra da Mantiqueira com árvores nativas. Além disso, também poderão comprar a primeira produção do azeite OLIBI com desconto e exclusividade, a partir de 2017.

O associado poderá adotar e identificar sua oliveira por meio de fotos aéreas que mapeiam a fazenda, com o custo de R$ 180,00 por ano, e ainda receber um certificado de adoção e um brinde exclusivo para degustar azeite. Além disso, os participantes da Comunidade OLIBI poderão conhecer e visitar a fazenda para ver o projeto de perto e acompanhar as novidades da soltura de aves, reflorestamento e crescimento das azeitonas. “Adotamos toda a mão de obra local e vamos seguir a filosofia da ‘fazenda à mesa’, destinando toda a produção para o consumidor e garantindo a entrega de um saboroso e aromático azeite de oliva extravirgem fresco e 100% brasileiro”, afirma Weiss.