“A importância de todos os elos da cadeia do Agro se comunicarem melhor” é tema da palestra de Ricardo Nicodemos, presidente da Associação Brasileira de Marketing Rural e Agro (ABMRA), no dia 8 de junho, durante o Programa Academia Global do Agronegócio, programa da Fundação Dom Cabral, que capacita gestores de toda a cadeia de valor do agronegócio para fortalecer o pensamento estratégico e de inovação, ampliando as competências em gestão e conquistando melhor competitividade, produtividade e resultados superiores para os negócios.

“Entendemos que o marketing é uma ciência em constante evolução e que não há fórmulas prontas e milagrosas: o que deu certo para uma marca pode não ser o melhor para outra. Também pensamos que, de tão importante, o marketing deveria ser uma das principais pautas e uma das prioridades dos líderes das empresas do Agro”, explica Nicodemos.

Nesse sentido, no atual cenário de transição da era digital, é preciso ter uma visão mais ampla e a ABMRA acredita na força e na eficácia do mix de comunicação. “Queremos ajudar nossos associados e todos os demais players, incluindo empresas, agências e profissionais, com informações e compartilhamento de conhecimento para aplicar as boas práticas do marketing e da comunicação no dia a dia e, assim, construir estratégias eficazes, que contribuem com o sucesso dos diferentes elos da cadeia do Agro, ajudando-os a se comunicar melhor”, destaca o presidente da ABMRA.

Nicholas Vital, diretor da Entidade e responsável pelo projeto ABMRA Talks também participou da apresentação. Para ele, em tempos de ESG, a comunicação se tornou ainda mais importante para o agronegócio. “Mais do que produzir de forma sustentável, é preciso também contar as boas histórias do setor. O discurso do Agro hoje é pouco aderente à sociedade média. Temos que deixar os aspectos econômicos de lado e focar nas pessoas”.

Ricardo Nicodemos complementa que uma comunicação adequada, bem conduzida e preparada, faz total diferença. “Há temas importantes que envolvem o Agro brasileiro, como clima e sustentabilidade, que muitas vezes são discutidos a partir de informações equivocadas ou sem estudos técnicos e científicos. Isso dá margem para entendimentos deturpados e disseminação de fake news. Mas é possível reverter essa situação e a ABMRA trabalha para mudar esse cenário”.

O presidente da ABMRA conclui: “Para evitar colocar as marcas em situação de risco e vulneráveis à ira da internet, os profissionais de marketing e comunicação devem dobrar os cuidados no processo de planejamento e criação das campanhas. Mesmo que seja um inofensivo post para as redes sociais, é recomendado que circule internamente e que seja aprovado por profissionais responsáveis pelas marcas. A volta do briefing formalizado é uma das formas de reduzir as situações de contingência que temos visto nos últimos tempos”.