A “Expedição da Agricultura para a Vida” leva conhecimento aprofundado sobre Manejo de Plantas Daninhas, Manejo Integrado de Pragas, Tecnologia de Aplicação e Segurança do Trabalhador

A Dow AgroSciences apresenta um novo projeto educativo itinerante que ampliará o escopo de seu programa de Boas Práticas Agrícolas. Com o “Expedição da Agricultura para a Vida”, a empresa quer levar conhecimento, de forma interativa, a partir de ferramentas multimídias e conteúdo técnico inovador, para um público tecnicamente qualificado. Dirigido a consultores, agrônomos e técnicos, esta é mais uma iniciativa da Dow AgroSciences, que tem como uma de suas prioridades a disseminação das Boas Práticas Agrícolas a fim de otimizar recursos e prover maior sustentabilidade para o agronegócio.

Para levar o treinamento a áreas agrícolas por todo o Brasil, um caminhão de 7 metros de comprimento e 3,5 de largura, com baú 100% adaptado e dividido em ambientes (ou estações), foi especialmente projetado para ser montado de forma rápida, sem precisar de um grande espaço. Um conteúdo robusto e de qualidade foi elaborado com a colaboração de profissionais do meio acadêmico e pesquisadores da Dow AgroSciences.

“O investimento em tecnologia e educação está alinhado aos objetivos da empresa que foca na importância dos treinamentos para a capacitar e disseminar as melhores recomendações por meio de práticas integradas em todas as etapas do processo de cultivo e produção”, comenta Ana Cristina Pinheiro, coordenadora de Boas Práticas Agrícolas da Dow AgroSciences. “Esse projeto dá mais força ao nosso Programa e mostra o comprometimento da companhia com a sustentabilidade do agronegócio. Essa diretriz nos inspira e nos move a trabalhar mais e melhor, por uma tecnologia que auxilie os produtores no seu dia-a-dia.

Com foco na disseminação de conhecimento sobre Manejo de Plantas Daninhas, Manejo Integrado de Pragas, Tecnologia de Aplicação e Segurança do Trabalhador, os treinamentos serão aplicados com dinamismo e interatividade para grupos de, no máximo, dez pessoas por evento, com duração de quatro horas. Cada tema contará com uma apresentação teórica e três interações práticas que passarão por ambientes visualmente atrativos.

Jogos interativos foram pensados para que os participantes possam testar seu conhecimento, de forma lúdica, durante a passagem nas estações do caminhão.

MANEJO DE PLANTAS DANINHAS

O objetivo deste módulo é fomentar as estratégias para um manejo integrado, auxiliando o produtor a identificar as plantas daninhas presentes na sua lavoura, contando com a ajuda de um herbário e sementário, além das diferentes recomendações para controle das mesmas.  O professor da Universidade de Passo Fundo e especialista em manejo de plantas daninhas, Mauro Rizzardi, é o responsável por este conteúdo.

Os jogos interativos dessa estação são:

Identifique as Plantas Daninhas

Jogo que permite aos participantes ampliarem seus conhecimentos sobre plantas daninhas, identificando-as pelo nome a partir de dicas e associando-as com fotos em 4 estádios diferentes: semente, planta jovem, planta adulta e inflorescência.

Roleta Mecanismos de Ação dos Herbicidas

Aqui os participantes podem entender sobre os diferentes mecanismos de ação, os grupos químicos e ingredientes ativos dos herbicidas que podem ser utilizados no controle das plantas daninhas e a importância de rotacionar os diferentes mecanismos de ação de herbicidas.

MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS

Coordenado pelo pesquisador Antônio Cesar Santos da Dow AgroSciences, a ideia da estação é mostrar, através de uma apresentação teórica e reforçada com diferentes experiências interativas, algumas estratégias que devem ser adotadas no Manejo Integrado de Pragas.

Os jogos interativos dessa estação são:

-Plante Refúgio

O refúgio é umas das práticas mais importantes para prevenir a evolução da resistência de pragas-alvo. Este jogo foi desenvolvido para auxiliar o público em como estabelecer as áreas de refúgio considerando diferentes disposições de áreas da lavoura.

-Identifique as Pragas

Esta plataforma permite identificar as principais pragas (insetos sugadores e mastigadores) nas culturas de milho e soja.

-Mecanismos de Ação dos Inseticidas

Neste jogo, o objetivo é ressaltar a importância de rotacionar os diferentes mecanismos de ação dos inseticidas como uma estratégia para auxiliar o produtor a prevenir a evolução da resistência.

TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO

Sob coordenação do professor da UNESP de Botucatu, Ulisses Antuniassi, que também é especialista em tecnologia de aplicação, a intenção aqui é mostrar a qualidade das aplicações como forma de obter uma melhor eficácia durante as aplicações de defensivos agrícolas e reduzir o risco de deriva.

Essa estação terá:

-Sala escura

Nessa sala, para grupos de 3 a 4 pessoas, o pesquisador faz uma demonstração a fim de mostrar a diferença no tamanho das gotas com auxílio de uma luz estroboscópica.

-Tenda Tecnologia de Aplicação

Será apresentada nesta tenda dois equipamentos, sendo um Espectrofotômetro de gotas e um Simulador de Deriva, que são equipamentos portáteis, com funções didáticas, que têm por objetivo educar e treinar os consultores quanto à forma e medidas corretas nas pulverizações de defensivos agrícolas.

De todo o investimento da área de Product Stewardship da Dow AgroSciences, 80% é destinado às Boas Práticas Agrícolas, sendo que 25% deste recurso foi destinado ao Projeto “Expedição da Agricultura para a Vida”.

Fonte: AI