A estimativa é atingir um público consumidor de 3 milhões de pessoas por dia

Um acordo realizado entre a rede de supermercados Carrefour e o Greenpeace resultou em um compromisso com o desmatamento zero da Amazônia. Pelo acordo, a empresa garante que vai monitorar sua rede de fornecedores de carne a fim de bloquear a compra de fazendeiros que tenham colocado gado em área que teve a floresta cortada.

O boicote é a qualquer tipo de desmatamento, ilegal e legal. Com este anúncio, as três maiores redes varejistas de alimentos do Brasil passam a trabalhar com políticas de não vender carne proveniente de áreas desmatadas, já que Pão de Açúcar e WalMart assumiram compromisso semelhante nos últimos meses.

A rede Carrefour tinha, em 2010, um compromisso de desmatamento legal zero, quando foram identificados os fornecedores de carne em todo o País e foi suspensa a compra daqueles localizados em áreas mais críticas de desmatamento. Mas não chegou a ser criado um sistema de monitoramento, segundo o diretor de Sustentabilidade Responsabilidade Social, Paulo Pianez.

O objetivo é mapear todas as fazendas que fornecem para o frigorífico, traçando um polígono que abrange a propriedade e seu entorno. Depois, essa área vai ser cruzada com a base de dados do Prodes (sistema de monitoramento do desmatamento da Amazônia feito pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais – Inpe). “Se esse cruzamento sinalizar que pode haver um problema, vamos até a fazenda. Se detectarmos algo, vamos suspender a compra até regularizar, podendo suspender o frigorífico”, afirma.

Pianez reconhece, porém, que essa metodologia ainda não evita os vazamentos ou lavagens, uma vez que não permite um rastreamento completo, como ocorre com os alimentos vendidos no Carrefour com o selo “Garantia de Origem”.

Fonte: Estado de S. Paulo e Exame