Produção sustentável, regularização fundiária, meio ambiente, segurança alimentar, recursos para os produtores, agronegócio na pandemia e a imagem do agronegócio são alguns dos assuntos abordados por Teka Vendramini, presidente da Sociedade Rural Brasileira, na abertura da série Agro Talks Exclusivo, iniciativa da Associação Brasileira de Marketing Rural e Agronegócio (ABMRA) voltada para as empresas associadas.

Para a presidente da SRB, entidade com mais de 100 anos de atuação em prol do agronegócio, o setor produtivo cumpriu muito bem o seu papel durante a pandemia da Covid-19, pois gerou empregos e renda, além de ter uma grande importância para as cidades menores, que dependem economicamente da agricultura e da produção animal. “Que outro setor fez isso”, questiona.

A presidente da Sociedade Rural Brasileira destaca que os principais desafios dos produtores rurais envolvem capacitação técnica, tecnologia, sucessão familiar e importância do associativismo. “É preciso ter foco na gestão”, diz. Teka defende a segurança jurídica para os produtores. “A regularização fundiária é premente, assim como a defesa do Código Florestal. O agro não é vilão ambiental. Não consigo aceitar a visão negativa do setor. Se há ilegalidade, ela tem de ser combatida com a rigidez da lei”.

A importância da comunicação foi outro ponto alto do bate-papo. “A ABMRA, assim como a presente da SRB, acredita que precisamos mudar a opinião pública sobre o agro. Afinal, somos alimentos, pessoas e tecnologia. É muito importante receber uma mulher pioneira e com visão tão transformadora”, assinala Jorge Espanha, presidente da ABMRA. ​