Stoller abre mais uma unidade em São Paulo

[et_pb_section admin_label=”section”][et_pb_row admin_label=”Linha” make_fullwidth=”off” use_custom_width=”off” width_unit=”on” use_custom_gutter=”off” custom_padding=”0px|||” padding_mobile=”off” allow_player_pause=”off” parallax=”off” parallax_method=”off” make_equal=”off” parallax_1=”off” parallax_method_1=”off” column_padding_mobile=”on”][et_pb_column type=”4_4″][et_pb_text admin_label=”Olho – Destaque” background_layout=”light” text_orientation=”left” text_font=”||on||” text_font_size=”16″ use_border_color=”off” border_color=”#ffffff” border_style=”solid”] [/et_pb_text][et_pb_text admin_label=”CONTEÚDO DO POST” background_layout=”light” text_orientation=”left” use_border_color=”off” border_color=”#ffffff” border_style=”solid”]

A Stoller Brasil, cuja controladora tem sede nos Estados Unidos, inaugurou em Cosmópolis, no interior paulista, mais uma fábrica de insumos biológicos. A nova unidade, que absorveu investimentos de R$ 30 milhões e tem capacidade inicial para produzir 20 milhões de doses por ano, é uma das maiores do gênero do mundo, conforme afirmou Rodrigo Oliveira, presidente da empresa, ao Valor.

Segundo ele, se for necessário a capacidade pode ser ampliada para 35 milhões de doses por ano em pouco tempo. “É uma fábrica modular. Com pequenos investimentos, portanto, podemos aumentar a capacidade muito fácil e rapidamente”,explicou Oliveira. A fábrica vai começar utilizando 70% da capacidade produtiva inicial.

A Stoller já atua no Brasil desde 1973 e, no ano passado, o faturamento no país alcançou R$ 450 milhões, cerca de 50% do montante global (US$ 136 milhões). E essa fatia poderá aumentar em 2017, já que a projeção é que a receita brasileira chegue a R$ 580 milhões.

“Crescemos cerca de dez vezes no Brasil nos últimos dez anos. Para este ano, a nossa perspectiva de crescimento é de cerca de 28% na receita em reais”, disse Oliveira.

De acordo com o executivo, o Brasil é considerado a plataforma global do grupo na área de biológicos. Em agosto do ano passado, a companhia anunciou a compra da Rizoflora Biotecnologia, startup mineira com foco em produtos biológicos para o controle de nematoides.

A ideia é que o complexo de Cosmópolis passe a produzir parte ou mesmo a totalidade do nematicida que hoje é produzido em Viçosa na fábrica que era da Rizoflora. A Stoller tem também no país uma unidade de fertilizantes especiais em Socorro, em São Paulo. E a companhia está apostando num mercado ainda com forte potencial de crescimento.

Atualmente, segundo a Associação Brasileira das Empresas de Controle Biológico (ABC Bio), o mercado de biodefensivos agrícolas cresce entre 10% e 12% ao ano no mundo para o Brasil, a entidade vê um potencial de avanço na casa dos 15%. Hoje, no país, o mercado total de defensivos agrícolas alcança o montante de US$ 9,6 bilhões, e a parte dos produtos biológicos legalizados corresponde a algo entre 1% e 2% desse total.

A expectativa da companhia é que a fábrica de Cosmópolis forneça produtos biológicos não apenas para Brasil, mas também para outras subsidiárias. Na América Latina, a Stoller também tem plantas em Argentina, Chile, Guatemala e Peru.

Fonte: Matéria por: Por Kauanna Navarro (Valor)

[/et_pb_text][/et_pb_column][/et_pb_row][/et_pb_section]