O que mudou nos hábitos de mídia do produtor rural?

[et_pb_section bb_built=”1″ admin_label=”section”][et_pb_row admin_label=”Linha” make_fullwidth=”off” use_custom_width=”off” width_unit=”on” use_custom_gutter=”off” custom_padding=”0px|||” padding_mobile=”off” allow_player_pause=”off” parallax=”off” parallax_method=”off” make_equal=”off” parallax_1=”off” parallax_method_1=”off” column_padding_mobile=”on”][et_pb_column type=”4_4″][et_pb_text admin_label=”Olho – Destaque” background_layout=”light” text_orientation=”left” text_font=”||on||” text_font_size=”16″ use_border_color=”off” border_color=”#ffffff” border_style=”solid” /][et_pb_text admin_label=”CONTEÚDO DO POST” background_layout=”light” text_orientation=”left” use_border_color=”off” border_color=”#ffffff” border_style=”solid”]

A televisão aberta perdeu um pequeno espaço na preferência dos produtores rurais, mas permanece com folga na liderança como o meio de comunicação mais usado por 92% deles para atualização e informação. É o que mostra a 7ª Pesquisa Hábitos do Produtor Rural ABMRA, produto da Associação Brasileira de Marketing Rural e Agronegócio (ABMRA) e realizado pela FNP Informa, um dos mais respeitados institutos de pesquisa especializado em agronegócio do mundo. Na pesquisa de 2013, o percentual dessa mídia era de 95%.

Os demais meios mais usados pelos produtores rurais são o rádio, com 75% (crescimento de 7% sobre a pesquisa anterior); a internet, com 42% das referências (alta de 7,7% sobre 2013), os jornais, com 30%; a TV paga, com 28% das respostas; e as revistas, com 27%. Em quatro anos, os jornais e as revistas perderam 28% e 25% de menções dos produtores rurais, respectivamente.

Entre as mídias digitais, o aplicativo Whatsapp lidera a preferência dos produtores rurais com 96%, seguido pelo Facebook (67%), YouTube (24%), Messenger (20%), Instagram (8%) e Skype (5%).

[/et_pb_text][/et_pb_column][/et_pb_row][/et_pb_section]