ABMRA apoia movimento que objetiva imortalizar “maior brasileiro vivo”, como diz o ex-ministro Roberto Rodrigues.

Em 2021, o Brasil pode ter o seu primeiro Prêmio Nobel da Paz. E é sério. O agrônomo Alysson Paolinelli foi indicado para esta honraria a partir de movimento iniciado há cerca de um ano pelo ex-ministro Roberto Rodrigues. A Academia Real das Ciências da Suécia aceitou e Paolinelli é, efetivamente, um postulante ao prêmio. A Associação Brasileira de Marketing Rural e Agronegócio (ABMRA) apoia a indicação de Paolinelli ao Nobel.

Aliás, para Roberto Rodrigues, Alysson Paolinelli é o “maior brasileiro vivo” por sua contribuição para a agricultura brasileira. Paolinelli é um dos criadores da Embrapa no final da década de 1960.

Posteriormente, quando ministro da Agricultura, deu início ao movimento que transformou a agricultura brasileira – a partir da produção no Cerrado. Assim, de grande importador de alimentos, o Brasil passou a ser um dos mais importantes exportadores.

Paolinelli também ganhou o World Food Prize, em 2006, e é considerado o “pai da moderna agricultura brasileira”. “O que Paolinelli fez e ainda faz pelo agronegócio brasileiro é algo que jamais o país conseguirá pagar”, assinala Roberto Rodrigues.

O Prêmio Nobel da Paz é anunciado sempre no segundo semestre do ano. “Se há um nome do Brasil com conhecimento, experiência e contribuições para o agro merecedor do Nobel, este é Alysson Paolinelli”, diz Jorge Espanha, presidente da Associação Brasileira de Marketing Rural e Agronegócio (ABMRA).