A Syngenta e 38 cooperativas agrícolas do Sul e Centro-Oeste do Brasil se reuniram no último fim de semana, em São Paulo, para orquestrar os movimentos do setor em 2017 e nos próximos anos diante das expectativas de melhora da economia.

Juntas, as cooperativas que fazem parte do programa de relacionamento e capacitação Aliança representam um faturamento anual de R$ 66,6 bilhões.

No encontro, presidentes e diretores das cooperativas e superintendentes da Syngenta compartilharam as estratégias comerciais para 2017, além de abordarem a nova identidade do programa que, em abril, foi reformulada ao completar 18 anos. “Temos uma identidade renovada, que se alicerça em quatro pilares: nossa promessa, valores, qualidades e motivação. A Aliança é um estado de parceria e confiança entre as cooperativas e a Syngenta”, lembra o presidente da unidade Sul da Syngenta no Brasil, João Paulo Zampieri.

Em uma ampla grade de reuniões e debates, a administração das cooperativas teve uma consultoria acerca das principais tendências macroeconômicas para este ano. Os cooperados tiveram a chance de analisar a atual conjuntura do País e do mundo e os cenários mais prováveis para culturas como trigo, café, soja e milho.

Além da consultoria, superintendentes e diretores da Syngenta debateram sobre prioridades do campo, investimentos e segurança de produtos.

Por fim, aliados e equipe Syngenta se reuniram para premiar os vencedores da campanha de incentivo à força de vendas externa da Syngenta, a Raízes 2016, além de lançar o próximo ciclo da campanha para 2017.

“Esta união é grande. Nessa Aliança, somos mais de 74 mil funcionários, mais de 2 mil e, ao todo, quase 300 mil cooperados. E a força de venda tem papel fundamental no sucesso de cada um”, comenta Zampieri sobre os vencedores que foram coroados com viagens em dois níveis de premiação – Las Vegas em junho  e África do Sul e Ilhas Maurício em outubro.

Fonte: AI