O mais recente levantamento da safra brasileira de grãos 2017/18 da Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB) aponta para a produção de 229,7 milhões de toneladas, com redução de 3,4% em relação à safra anterior. O menor índice de chuva impactou o potencial produtivo do milho 2ª safra, segunda maior cultura do país em volume de produção, refletindo no resultado geral, informa a instituição. A área plantada total atingiu 61,6 milhões de hectares (maior área semeada no país): crescimento de 1,1% sobre a safra 2016/17. Seguem os destaques do levantamento da Conab:

Algodão: cultura em maturação. Redução nas precipitações favorece a qualidade da fibra. O expressivo aumento de área (25,2%) e o ganho de produtividade (2,1%) resultam em produção de 2,9 milhões de toneladas de caroço. Arroz: com a colheita próxima do fim, os números apontam para produção de 11,7 milhões de toneladas; recuo de 4,8% sobre o volume de 2016/17.

Milho (1a e 2a safra): a colheita da primeira safra foi finalizada na Região Centro-Sul e está começando no Nordeste, aproximando-se dos 26,8 milhões de toneladas: 12,1% inferior à safra passada. Houve redução na área plantada. A segunda safra deve ter a produtividade impactada pelo estresse hídrico, resultando em produção até 13,6% menor em relação à safra anterior e 7,5% inferior ao 8º levantamento.

Soja: produção da oleaginosa foi projetada em 118 milhões de toneladas (recorde), reflexo do aumento da área plantada,

Trigo: estimativa de incremento de 4,0% na área semeada e de 9,6% na produtividade, resultando em produção de 4,9 milhões de toneladas.