No Dia Mundial do Meio Ambiente, nesta terça-feira, 5, o Brasil tem motivos para celebrar. Em 2010, quando foi lançado o Plano ABC ( Agricultura de Baixa Emissão de Carbono) 3 milhões de hectares atendiam aos requisitos de produção agrícola sustentável. Em 2016, segundo dados da Embrapa, a área foi ampliada para 11,5 milhões de hectares ocupados com a integração LPF – Lavoura, Pecuária e Floresta – e que contribuem com a redução de 35,1 milhões de toneladas de CO² na atmosfera

O Plano ABC tem vigência até 2020, quando o país deverá ter reduzido em cerca de 40% a emissão dos gases de efeito estufa, na comparação com 2005, segundo compromisso assumido voluntariamente na Conferência do Clima das Nações Unidas (COP 15), realizada em 2009, em Copenhague, Dinamarca.

O Plano ABC oferece linha de crédito ao produtor rural para desenvolver sua atividade com menos impacto ambiental sendo composto por sete programas, seis referentes às tecnologias de mitigação e um com ações de adaptação às mudanças climáticas: Recuperação de Pastagens Degradadas; Integração Lavoura, Pecuária, Floresta (ILPF) e Sistemas Agroflorestais (SAFs); Sistema Plantio Direto (SPD); Fixação Biológica de Nitrogênio(FBN); Florestas Plantadas; Tratamento de Dejetos Animais e Adaptação às Mudanças Climáticas.

Desde 28 de março deste ano, entrou em operação a Plataforma Multi-institucional de Monitoramento das Reduções de Emissões de Gases de Efeito Estufa na Agropecuária – Plataforma ABC, resultado da parceria do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Embrapa e Ministério do Meio Ambiente. A plataforma monitora as emissões de gases de efeito estufa – (GEE) na agropecuária, assim como o estoque de carbono no solo.

Fonte: Mapa