As exportações de carne bovina registraram crescimento de 10% em junho, quando comparado a maio, alcançando US$ 512 milhões em faturamento, segundo dados da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (ABIEC). Em volume, o resultado foi de 123.287 toneladas, aumento de 9% na comparação com o mês anterior. Estes resultados confirmam que junho foi, até agora, o mês com melhor desempenho neste ano.

Merecem destaque os resultados registrados na categoria carne in natura, que teve aumento de 11%, se considerada a comparação com junho do ano anterior. No mês passado, foram embarcadas 100.223 toneladas e gerados US$ 422 milhões em faturamento.

Já a comercialização de carne bovina industrializada teve aumento de 9,68% em junho, com o embarque de 7.866 toneladas, ante as 7.171 embarcadas em maio. O faturamento obtido nesta categoria foi de US$ 47 milhões, o que representa um aumento de 12,35%.

Considerando o retrospecto dos últimos seis meses, é perceptível uma evolução do faturamento com as exportações de carne bovina brasileira, sustentadas principalmente por uma sequência de altas dos preços médios do produto (gráfico abaixo).

evolucao

 

 

 

 

 

Principais destinos

Hong Kong foi o principal destino da carne bovina brasileira exportada em junho, com um total de 30.790 toneladas, uma alta de 9,12% se comparado com o volume comercializado em maio. No ranking dos principais importadores, Hong Kong é seguido pela China, que teve aumento de 9,61% do volume de exportações, e pela União Europeia, com recuo de 1,1% (tabela abaixo).

Posição País/região Faturamento US$ (junho/2017) Volume em toneladas (junho/2017)
1 Hong Kong 120.098.286,00 30.790,06
2 China 66.826.255,00 15.607,94
3 União Europeia 52.761.332,00 8.265,00
4 Egito 47.352.815,00 13.060,26
5 Rússia 41.977.139,00 12.768,07

A expectativa da ABIEC é que os resultados dos próximos meses continuem positivos. Com a aplicação das medidas corretivas, definidas em conjunto com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), espera-se que o mercado americano seja reaberto para as exportações de carne bovina in natura do Brasil. A ABIEC também continua focada em assegurar e ampliar a presença brasileira em mercados estratégicos e iniciar negociações com as demais nações.

Fonte: Abiec