A defesa da imagem da cadeia exportadora de aves, ovos e de suínos do Brasil foi a pauta da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) em missão comandada pelo Ministério das Relações Exteriores do Brasil, a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e a Confederação Nacional da Indústria (CNI) ao Moçambique e à África do Sul, encerrada na segunda-feira (15).

Em painéis e encontros liderados pelo Ministro das Relações Exteriores do Brasil, Aloysio Nunes, a analista de relações com o mercado da ABPA, Taina Dias, buscou esclarecer inverdades em torno da qualidade da proteína animal brasileira, que circularam internacionalmente após os equívocos ocorridos na divulgação da Operação Carne Fraca.

Em suas explanações, Dias ressaltou o interesse brasileiro em seguir atuando em parceria com os mercados africanos, complementando os espaços que não são ocupados pelos produtores locais, auxiliando, desta forma, na garantia da segurança alimentar dos países do continente. “Somos auditados por nosso sistema oficial de inspeção e pelos 160 países importadores de nossas proteínas, além de centenas missões internacionais privadas que nos visitam anualmente. A qualidade de nossos produtos e o status sanitário de nossa produção são atestados que nos permitem seguir como parceiros pela segurança alimentar dos países da África”, ressaltou em um dos encontros.

Os encontros aconteceram em Maputo (Moçambique), Pretória e Johanesburgo (África do Sul). Além de representações oficiais, importadores e empresários participaram dos encontros.

Fonte: APEX