As novas tecnologias e estratégias de comunicação e marketing para fortalecer, agilizar e fidelizar o novo produtor rural 4.0 foram os temas principais do workshop AgroMarketing Meetings, promovido pela Associação Brasileira de Marketing Rural e Agronegócio (ABMRA) no dia 24 de janeiro, em São Paulo.

“Os produtores rurais estão cada vez mais conectados. Dessa forma, precisam ser impactados de diferentes formas. O AgroMarketing Meetings discutiu esse desafio. As empresas têm de utilizar soluções específicas para atingir esse novo homem do campo”, destaca Jorge Espanha, presidente da ABMRA.

Alberto Meneghetti, diretor da ABMRA e coordenador do workshop, destaca as novas exigências do produtor rural 4.0. “A comunicação para esse novo produtor rural, passa por estratégias de micro-segmentação, acompanhando sua jornada no dia a dia. O correto é que ele receba a informação de forma eficiente, tangível e, cada vez mais, direta.”

Alexandre Laybauer, diretor de Planejamento da agência e21, levou ao workshop AgroMarketings Meeting a importância crescente de um novo tipo de influenciador no agro. “Outros agentes da cadeia produtiva, como o pesquisador, o engenheiro agrônomo e os consultores, ganham influência significativa no poder de compra do agricultor, na medida em que todos os insumos, máquinas, produtos e equipamentos precisam de uma base de estudos muito forte, que comprove sua eficácia, antes de ir ao mercado”, explica Laybauer.

O diretor da e21 falou sobre o Fluxo da Ciência, estudo que detalha o passo a passo da cadeia de desenvolvimento de uma solução agrícola. “Com a relevância crescente da tecnologia e inovação, o poder da ciência torna-se mais importante do que um influenciador digital na hora de valorizar as características de determinado produto”, destaca.

Para falar sobre as tendências de marketing digital, Fabiano Goldoni, diretor da Alright AdTech, abordou uma nova realidade nas grandes indústrias globais. “Os gigantes estão investindo cada vez mais em processos como inteligência artificial para coleta de dados. Empresas como Nike e Adidas, por exemplo, há tempos incorporam processos inovadores para facilitar a experiência de compra dos usuários. Com isso, essas indústrias acabam se transformando também em gigantes da tecnologia e não somente em grandes marcas de material esportivo. O agro tem muito espaço para evoluir nesse campo”.

Eduardo Prange, CEO da Zeeng, apresentou estudo inédito sobre as empresas do agro com maior relevância no universo digital. Segundo o levantamento, a Embrapa tem o maior destaque em buscas na internet neste início de ano. “É possível que, no próximo mês, o resultado mostre dados diferentes, pois os algoritmos estão em constante transformação. Esse cenário obriga o profissional de marketing digital a adotar uma visão global do seu modo de trabalho e não pensar em estratégias fragmentadas”, complementou.

Kelly Nakaura, gerente de Comunicação de Marketing para América Latina da John Deere, líder mundial no fornecimento de serviços e produtos avançados, falou sobre a estratégia de marketing digital da empresa. Segundo ela, independente do modelo de negócio, todas as relações são humanas, apesar dos inúmeros processos tecnológicos presentes na jornada de compra do cliente.

“As empresas devem focar em mostrar conteúdo de qualidade e não apenas falar sobre um produto ou serviço. O storytelling ganha cada vez mais importância na comunicação. É preciso contar uma história. Mas ela precisa emocionar e contar a verdade, provando que o produto realmente atender à necessidade do cliente”, diz.

A série AgroMarketing Meetings ABMRA objetiva trazer discussões importantes sobre o universo da comunicação e do marketing no ambiente 4.0. A próxima edição está programada para 27 de março. Para mais informações: agromarketing@abmra.org.br