A produção brasileira de café da safra 2018, agora sob influência da bienalidade positiva e com expectativa de boas condições climáticas, deve se situar entre 54,44 e 58,51 milhões de sacas de 60 quilos, com variação entre 21 a 30%, superior à do ano passado, quando atingiu 44,9 milhões de sacas. Comparada ao último período de alta bienalidade (2016), estima-se crescimento de até 13,9%, ou seja: mais 3,07 a 7,14 milhões de sacas. Os dados são da Conab.

O café arábica deve ficar entre 41,74 e 44,55 milhões de sacas, com elevação de 21,9 a 30,1% superior ao período anterior, quando atingiu 34,25 milhões de sacas. Já o conilon parte de 12,7, chegando a 13,96 milhões de sacas, superior entre 18,4 e 30,2% ao último ano.

Minas Gerais, o maior produtor nacional, deve produzir entre 29,09 e 30,63 milhões de sacas, ao passo que o Espírito Santo, que vem em seguida no volume de produção, pode atingir produção de 11,58 a 13,33 milhões de sacas.