A agropecuária registrou saldo positivo de 23.055 postos de trabalho formais em fevereiro de 2021, o melhor resultado para o mês desde 2011, segundo Comunicado Técnico da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).

A publicação analisou os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado na terça (30), pelo Ministério da Economia, que apontou a abertura de 401.639 novas vagas de empregos no país em fevereiro.

No acumulado no ano, o agro foi responsável por 56.041 novas vagas, o que representa 8,5% do total de empregos gerados no período, número 192% maior que o mesmo período de 2020, quando registrou 19.214 postos de trabalho.

As atividades agropecuárias que mais contribuíram para o bom resultado de fevereiro foram o cultivo de soja, com 6.108 vagas, e a criação de bovinos, com 4.342 postos. Completam a lista as atividades de apoio à agricultura e à pecuária (+1.873), cultivo de cana-de-açúcar (+1.822) e produção florestal (+1.768).

De acordo com o documento da CNA, assim como em janeiro, houve geração de empregos em quase todas as regiões, com exceção do Nordeste. As regiões Sudeste e Centro-Oeste foram as que mais criaram vagas em fevereiro, 17.241 e 4.574, respectivamente.

São Paulo foi o estado que mais abriu postos de trabalho, mantendo sua posição como o maior gerador de empregos na agropecuária (+14.509), como foi em 2020 e em janeiro de 2021, o que corresponde a 63% do total do setor no país. Em seguida, aparece Minas Gerais com 2.435 vagas, quase 11% do total do setor.

Fonte: CNA