Estudo da agência espacial dos Estados Unidos confirma os números da Embrapa e comprovam: o Brasil protege e preserva a vegetação nativa em mais de 66% de seu território e cultiva apenas 7,6% das terras.

Comparativamente, a Dinamarca cultiva 76,8% (dez vezes mais que o Brasil); a Irlanda, 74,7%; os Países Baixos, 66,2%; o Reino Unido 63,9%; a Alemanha 56,9%. A maior parte dos países utiliza entre 20% e 30% do território com agricultura. Os da União Europeia usam entre 45% e 65%. Os Estados Unidos, 18,3%; a China, 17,7%; e a Índia, 60,5%. “Os agricultores brasileiros cultivam apenas 7,6%, com muita tecnologia e profissionalismo”, assegura o especialista da Embrapa Evaristo de Miranda.

Dados já haviam sido apresentados em evento da FAEMG, em julho

Os resultados do estudo feito pela Embrapa Monitoramento por Satélite sobre ocupação e uso das terras brasileiras foram apresentados pelo analista de sistemas da entidade, Carlos Alberto de Carvalho, em evento realizado pelo Sistema FAEMG, em julho passado. Na ocasião, ele já havia antecipado a comprovação, por meio do Cadastro Ambiental Rural (CAR), da grande quantidade de áreas preservadas no Brasil, como um todo. “Em Minas Gerais, é especialmente impressionante, porque a vegetação preservada no estado chega a 33%, quando a exigência legal é de 20%. É um reconhecimento muito importante, de que os produtores rurais, principalmente em MG, estão preservando muito mais do que a exigência legal”.

Fonte: FAEMG