Uma em cada três propriedades rurais do Brasil tem mulheres em sua equipe de gestão, com poder de decisão. Essa conclusão da 7ª Pesquisa Hábitos do Produtor Rural, produto da Associação Brasileira de Marketing Rural e Agronegócio (ABMRA) e FNP/Informa, foi um dos pontos centrais de painel no 2º Congresso Brasileira das Mulheres do Agronegócio, realizado nos dias 17 e 18 de outubro, em São Paulo.

“Não se trata mais de admitir ou não a presença feminina na gestão das empresas rurais. Elas estão presentes hoje e estarão mais presentes no futuro. Afinal, já não se discute mais se a mulher vai ganhar o seu espaço no campo. Ela já o conquistou”, disse Jorge Espanha, presidente da ABMRA no painel comandado por José Luiz Tejon, ex-presidente da entidade e membro do Conselho Consultivo.

O debate, que contou com a participação de Vera Ondei (editora da revista Dinheiro Rural), Andréa Veríssimo (diretor da Avelã Public Affairs) e Regina Helena Couto da Silva (economista sênior do Bradesco), analisou os resultados de uma outra pesquisa, a “Todas as Mulheres do Agronegócio”, coordenada pela ABAG e o IEAG.

“As duas pesquisas se complementam e fortalecem as conclusões”, disse Espanha, destacando dados como a educação da mulher do agronegócio (1 em cada 4 têm formação superior, contra 1 em cada 5 homens) e conectividade (83% mulheres do campo têm smartphone contra 69% dos homens, de acordo com a 7ª Pesquisa Hábitos do Produtor Rural ABMRA).

A ABMRA é parceira do 2º Congresso Brasileiro das Mulheres do Agronegócio, evento que reuniu mais de 900 mulheres de quase duas dezenas de estados, de todas as regiões do país. As associadas Belgo Bekaert Arames, Ford, John Deere, MSD e Syngenta também patrocinaram o evento. Nas fotos em destaque: o presidente Jorge Espanha, José Luiz Tejon e o diretor de Comunicações Donário Lopes de Almeida; e Espanha e o diretor de Equipamentos Gustavo Vianna.