Durante milhares de anos, o leite de camelo foi consumido como uma bebida saudável em todo o Oriente Médio e no norte da África. Mais recentemente, porém, esse leite incomum para o brasileiros passou a ganhar espaço maior em outras partes do mundo, como na Europa, figurando inclusive na prateleira dos supermercados.

Grande parte desse mérito vem dos benefícios à saúde, que estão ficando cada vez mais conhecidos. É que o leite de camelo tem algumas credenciais que o tornam especial, como, por exemplo, conter altos níveis de ferro, cálcio e vitaminas B e C, além de menos gordura e colesterol do que o leite de vaca.

Atualmente, estima-se haver mais de 1,2 milhão camelos no mundo. Eles são principalmente o dromedário ou camelo árabe, que tem uma corcunda e é a espécie escolhida para a produção de leite.

Embora o leite de camelo seja consumido por humanos há mais de 6 mil anos, o preço ainda é elevado. Um litro de leite de camelo pasteurizado é vendido por cerca de US$ 15 (cerca de R$ 65) na Austrália, tornando-o 12 vezes mais caro que o leite de vaca.

Entre os produtos de leite de camelo já disponíveis na Europa estão o Al Nassma, de Dubai, a primeira marca mundial de chocolate feito com leite de camelo. O negócio começou em 2008, e a distribuição dos produtos na Suíça teve início em 2011.

A Al Nassma produz em média 300 kg de chocolate por dia, que é exportado para vários países em diferentes continentes. De acordo com a empresa, existe hoje um mercado crescente no leste da Ásia, onde estão cerca de 35% de seus clientes.

Fonte: Globo Rural