O agronegócio tem se mantido resiliente aos percalços impostos pela pandemia. Neste cenário de mudanças, espera-se que a digitalização seja acerelada dentro do setor.

Segundo o economista José Roberto Mendonça de Barros, durante participação no Congresso da Associação Brasileira do Agronegócio (ABAG), as mudanças provocadas pela pandemia tendem a acelerar a digitalização do agronegócio e aprofundar a divisão social do trabalho.

Para ele, a pandemia mudou a forma das pessoas se relacionarem e se alimentarem, com isso os trabalhadores de todos os setores, incluindo os do agronegócio, deverão estar mais bem preparados e especializados. “Estamos muito perto de um salto de novidades e produtividade, e a internet será nossa rodovia nesse sentido”, afirmou o profissional.

Ainda de acordo com ele, já há alguns indícios dessas mudanças também na origem dos produtos consumidos, como a maior procura por produtos de origem 100% vegetal, o que impactará diretamente as formas de produção. “E a agricultura de precisão permitirá que o setor produza mais, e com menos custos”, contou.

Fonte: Valor Econômico E feed&food